Carnaval 2014 de Guaratinguetá – Resultado da apuração e comentários do Profº Marcelo Sampaio

Publicado por Rota do Samba em

Carnaval 2014 de Guaratinguetá – Apuração

TAMANDARE_CAMPEA 2014

Foi realizada nesta quarta-feira, dia 05 de março, às 15h, na sede da Secretaria de Turismo de Guaratinguetá, a apuração do Carnaval 2014.

Foram dez quesitos julgados e a escola de samba Unidos da Tamandaré sagrou-se Bi Campeã, com 298,9 pontos.

CONFIRA ABAIXO A ORDEM DE CLASSIFICAÇÃO DAS ESCOLAS:

– 2º Lugar – Embaixada do Morro – 298,1 pontos
– 3º Lugar – Acadêmicos do Campo do Galvão – 295,6 pontos
– 4º Lugar – Bonecos Cobiçados – 290,5 pontos
– 5 º Lugar – Beira Rio – 286 pontos
– 6º Lugar – Mocidade Alegre do Pedregulho – 282 pontos

Comentários do Profº Marcelo Sampaio sobre os Desfiles de Guaratinguetá

MOCIDADE ALEGRE DO PEDREGULHO
Com quase uma hora de atraso, em relação ao horário divulgado pela OESG, a Mocidade Alegre do Pedregulho entrou na avenida para mostrar o enredo “Com bailar das danças o frevo me fascina”. O ponto alto do seu desfile foi a comissão de frente, que fez uma boa apresentação.

Porém desde o início a sua bateria oscilou bastante, não conseguindo manter o andamento proposto pelo mestre, e sua harmonia apresentou muitas falhas. Para comprometer de vez a sua apresentação, o abre-alas quebrou um pouco depois do recuo da bateria fazendo com que o quesito evolução fosse totalmente prejudicado.

UNIDOS DA TAMANDARÉ
A Unidos da Tamandaré entrou na avenida para apresentar o enredo “O reino encantado dos cangaceiros da paz” com muita vibração, componentes cantando o samba inteiro e diretores de harmonia fazendo um excelente trabalho que contou, inclusive, com o auxílio de rádios-comunicadores.

Mostrou ousadia ao desfilar com uma comissão de frente composta por belas e talentosas crianças. Isso sem falar numa sensacional bateria, comandada pelo genial mestre Zé Carlos, na qual não faltaram várias bossas, afinadas convenções de tamborins, interessantes coreografias e até uma sanfona.

BONECOS COBIÇADOS
“São Luiz do Piraitinga, rio de águas claras: Um banho de alegria e cultura no nosso Carnaval” foi o enredo escolhido pela Bonecos Cobiçados para homenagear a cidade de São Luiz do Piraitinga, que por conta da sua tradição em marchinhas carnavalescas já foi matéria do New York Times, jornal dos Estados Unidos.

Apresentou a comissão de frente mais dançante da noite, uma bateria que realizou com competência diversas “paradinhas” e carros alegóricos inseridos à proposta enredística. Só ficou devendo um desfile mais organizado, talvez porque não tenha tido um número maior de diretores de harmonia.

EMBAIXADA DO MORRO
Com o enredo “Pelos poderes do samba” a Embaixada do Morro entrou na avenida para festejar os seus 70 anos de existência. Foi uma maravilhosa idéia misturar a história do samba, passando pela importância dos negros no surgimento dele, com a história da própria agremiação, a mais antiga de Guaratinguetá.

O seu desfile foi arrebatador iniciado com uma bela comissão de frente e embalado por uma bateria de “pegada” fortíssima. Após seu último carro alegórico, entrou na avenida atrás do cordão de isolamento dos seguranças da pista um grande número de torcedores e uma imensa bandeira da escola.

ACADÊMICOS DO CAMPO DO GALVÃO
A Acadêmicos do Campo do Galvão, escola de samba que com 15 títulos é a maior campeã da cidade, decidiu comemorar as suas quatro décadas com o enredo “40 anos de pura paixão… Acadêmicos, um marco na história”. Entrou na avenida com a melhor comissão de frente dos desfiles deste ano.

Também foi um grande destaque a bateria, que conseguiu manter o ritmo do início ao fim. No entanto apresentou problemas no abre-alas, cujo nome da agremiação em neon estava apagado, fantasias incompletas de inúmeras alas e carros alegóricos com mal-acabamento.

BEIRA RIO DA NOVA GUARÁ
“Aondê Namandu – Criadora do Universo e dos filhos da sabedoria, eterna chama do amor” foi o enredo escolhido e infelizmente não bem desenvolvido na avenida pela Beira Rio da Nova Guará. A comissão de frente, por exemplo, só passou na pista sem mostrar sequer emoção.

Além disso, os demais componentes da escola estavam desanimados e não cantavam o samba, que com a ausência do violão ficaram prejudicados tanto o seu canto como a sua linha melódica. Também ocorreram vários “buracos” durante o seu desfile, que apresentou um roteiro muito confuso.

 043

Marcelo Sampaio, é professor universitário de História e pesquisador do Carnaval, foi comentarista convidado especial da Equipe de Carnaval da Rádio Piratininga.

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.