Vitrine do samba

Carnaval de Guaratinguetá: E agora? como é que fica?


Publicado em 5 mar 2013

CARNAVAL DE GUARATINGUETÁ: E AGORA? COMO É QUE FICA?

COLUNA SAMBA & CIA
Por Mário Santos

041

Bloco Juca Teles no Carnaval 2013 de Guará

            O Carnaval deste ano em Guaratinguetá não foi um fiasco, até porque a sua não realização foi uma tragédia anunciada em tempo hábil. Mas falar que foi um sucesso, isso também não. E por vários motivos: Primeiro porque a simples ausência das Escolas de Samba deixa, por si só, um vazio natural que outra atração não preenche. Segundo porque “marchinha” não é o nosso ponto forte. E terceiro pela demonstração de desinteresse de boa parte da população que preferiu viajar para ajudar a lotar as praias, do que ficar aqui para contemplar algo que ela não está acostumada.

            Mas não que o “Carnaval de Marchinhas” não tenha lá os seus atrativos nem o seu valor cultural. Tem sim. Mas lá em São Luís do Paraitinga e outras localidades; aqui não. Aqui em Guaratinguetá o que predomina é o carnaval “povão” da Banda Mole e os desfiles das Escolas de Samba. Mais nada. Não adianta querer reinventar uma ideia que não deu certo no passado. O que tem que ser feito – e está provado – é remodelar o carnaval tradicional e trazer de volta para a avenida o samba, o verdadeiro ritmo da cidade.

            Alguns dirão que estou errado. Aceito a crítica. Mas a verdade é que o nosso perfil de carnaval gira em torno de São Paulo e Rio de Janeiro, onde a realidade do samba é o próprio samba, e não outra manifestação cultural diferente dele. Principalmente se tem sua raiz em outra localidade, como é o caso do carnaval folclórico das marchinhas, muito presente em outra parte do Vale. Não é nossa cara; não é nosso jeito.

            Mas valeu a iniciativa em se promover pelo menos algo para o povo se divertir e fazer com que o período de carnaval não passasse em branco pela cidade. Se bem que eu acho que foi mais uma bela “jogada política”, do que puramente um lampejo de grande ideia. A cidade de São Luís do Paraitinga não comporta mais receber o público que recebe. Isso é fato. Além disso, a cidade viveu também alguns problemas decorrentes de fortes chuvas nas semanas que antecederam o carnaval. Ou não?

            Ora. Optar por trazer as marchinhas para cá, justamente num cenário que assim se configurava, parece mais uma estratégia do tipo “se não tem espaço aí, vem pra cá, que aqui tem!”, do que outra coisa. Daí eu pergunto: se no futuro, acontecer de novo, e as marchinhas não vierem, como é que fica?

.

Mário Santos – jornalista                             mariosantos@mail.com

Uma resposta para “Carnaval de Guaratinguetá: E agora? como é que fica?”

  1. Nícolas disse:

    Concordo, carnaval em Guará tem que ter escola de samba, seria muito legal se remodelassem a forma de ajudar as escolas e de preferencia sem ser em “cima da hora”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Todos os direitos reservados à Conquista Marketing e Propaganda - 2005 à 2011.